sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Soneto da Imortalidade

Viver é reinventar-se a cada dia,
É construir o caminho a cada passo,
É o círculo perfeito do compasso:
Em cada ponto termina e principia.

E nesse recomeçar a cada traço,
Lançar-se sem medida, economia,
Deixar questões à vã filosofia,
E replicar em ti o vasto espaço.

Para quando vier a morte, feito aço,
Penetrar-te insondável e sorrateira,
Tu saibas no momento mais exato

Que foste imortal porque viveras,
Como se cada segundo contado,
Valesse uma vida inteira.

Nenhum comentário: