quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Suspense Non Sense

O suspense dos passos na escada
Faz nascer no peito do amante
O desejo de que seja sua amada
E não perdure a ausência um só instante.

Mas o tempo arrasta-se, irritante,
E os passos vêm com mora decretada
Galgando mil andares ressoantes
Em “plic placs” de ânsia renovada.

De súbito retorce-se na cama
O amante impaciente que reclama
A falta que lhe faz a companheira

Corre à porta que a batida já o chama
Abre-a rápido, mas o amor ali proclama
Para o zelador à espera da lixeira.

Nenhum comentário: