segunda-feira, 25 de abril de 2011

Anticlímax

O suspense
Que pende
Suspende a vida.

E a ansiedade
Nesta idade
nos instiga.

Mas a expectativa
E sua aspereza,
aumentam o prazer que cativa.

Fazem o sangue correr
Na veia ativa,
A pulsação incontida,
Querendo briga.

Se durasse pra sempre
Esse clímax
E sua beleza.

Se desse pra segurar
Esse sem fôlego
Sem fim de chama acesa.

Nunca seria o fim de tudo
o pior de toda surpresa.
A revelação, enfim,
À sua presa.

Nenhum comentário: